Legalmente Negra

Just another WordPress.com site


Deixe um comentário

Estréia do curta-metragem Lacônica!

Esse foi osso! Mas nasceu. Em meio a todos o impedimentos possíveis ele está aí. É hoje, o nosso Lacônica estará no ar!!!

Elenco

Luci Savassa

Thaís Ienaga

Tales Jaloretto

Fabrícia Neres

Sabrina Motta

Ivy Mari

Maria Margarida Amorim

Andréia Justino Do Nascimento

Caroline D’Ávila

Direção

João Marcelo Estrada

Assistentes de direção

1º Assistente: Elaine Paiva

2º Assistente/continuista: Carlo Pereira

Roteiro

André Brazinéis

Direção de Fotografia

Thiago Flausino

Assistentes de Fotografia
1º Assistente: Bruno Reinoldes
2º Assistente: Alexandre D’Lou

3º Assistente: Caroline D’Ávila

Elétrica

Alexandre D’Lou

Rubens Nê Viana

Assistente de elétrica

Caroline D’Ávila

Direção de Produção

Juliana Robim

Assistentes de Produção

Elaine Paiva

Fabrícia Neres

Luciana Meneghetti

Alexandra Del Arco

Evaristo África

Isabela Monteiro Kayo
Maria Margarida Amorim

Caroline D’Ávila

Direção de Arte

Elaine Paiva

Assistentes de Arte

Fabrícia Neres

Aline Elen Paiva

Juliana Robim

Alexandra Del Arco

Luciana Meneghetti

Cristiane Amorim

Cabelo e Maquiagem

Elaine Paiva

Fabrícia Neres

Juliana Robim

Figurino

Elaine Paiva

Aline Elen Paiva

Fabrícia Neres

Maquiagem de efeitos

Elaine Paiva

Fabrícia Neres

Alexandra Del Arco

Maquiagem Protética
André Brazinéis

Som

André Brazinéis

Montagem
André Brazinéis
Thiago Flausino

Still
Thiago Flausino
Michel Igielka

Making of
Alexandre D’Lou
Michel Igielka
Isabela Monteiro Kayo

Anúncios


Deixe um comentário

Lugares, estranhos e quietos

Buenas, meus queridos!

Ontem tive a graça de presenciar a maravilhosa exposição: Lugares, estranhos e quietos, do Wim Wenders e só tenho três palavras a dizer: Vocês precisam ver!

De início, fui apenas por motivos acadêmicos: Estou estudando para conceituar a direção de arte do Projeto Lacônica (Em breve saberão mais sobre isso). Mas depois de mergulhar entre os “clicks” do grande Wim, me senti nova e pronta para ir além do que estava pensando e tentar encontrar nas pequenas coisas algo grandioso.

E é exatamente isso que o mestre faz. A exposição Lugares, estranhos e quietos traz um conjunto de fotos feitas por Wim Wenders ao longo de suas viagens por todo o Mundo.

Em suas composições, Wim retrata lugares esquecidos, envelhecidos, abandonados, enferrujados e captura a essência histórica de cada lugar explorando cores, texturas, intervenções e sobreposições, que engrandecem e embelezam esse abandono.

O artista diz que enquanto todos olham para o lado direito, onde provavelmente está acontecendo algo interessante, ele olha para o lado esquerdo, onde nada está acontecendo. E é com maestria que ele consegue nos pegar pelas mãos e nos fazer olhar para o lado esquerdo, sem ao menos nos sentirmos forçados ou pressionados: É natural.

Fotografar aromas e sons é possível? Ele consegue.

Para quem não conhece: Wim Wenders é uma das figuras mais importantes do Cinema Alemão, desde 1967 realiza diversos filmes: entre eles (só citando os mais conhecidos) O amigo americano, As asas do desejo, Buena Vista Social Clube, O hotel de um milhão de dólares e o meu preferido Um filme para Nick, documentário realizado por Wim, em Nova York, sobre os últimos dias de vida de seu amigo, o cineasta Nicholas Ray.

Wim Wenders é um amante da fotografia e antes de se tornar um cineasta, já era um grande apreciador da pintura. E hoje se revela um fissurado por lugares e procura clicar todos, até os mais inusitados por onde passa (isso inclui o Brasil) e trouxe um pouquinho de suas “viagens” para nós.

Bom, é isso. Então, vamos lá dar uma olhadinha?

A exposição está no MASP até o dia 30/01 e o ingresso custa 15 reais. Estudante, professores e idosos (60 anos) pagam meia. E de terça-feira, ninguém paga nada e é por isso que fui na terça. Nada melhor do que arte acessível ao bolso, só tem um pouquinho de fila na hora de entrar, mas também não é para menos.

Beijos a todos.